sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

REDESCOBERTA

REDESCOBERTA






Uma luz brilhou  e pude ver a sombra de mim,

Descobri então que eu não havia chegado ao fim...

Fiquei animada com a descoberta  e decidi me procurar,

E, aos poucos ,estou começando a me achar!

Comecei a rever os meus valores e as minhas atitudes,

E  também a me lembrar das minhas reais virtudes...

Não me destruí como havia pensado que tinha feito,

Novas escolhas me ajudariam a me conhecer de um novo jeito...

Iniciei uma busca interior tendo que ,primeiro, me trabalhar,

Na certeza de quem quer ,de fato e de verdade, mudar...

Assim comecei a percorrer meu eu inteiro e de forma total,

E com garra e perseverança eu vou me libertando de todo o mal..
.
Não preciso continuar fugindo de mim nem me anulando para a vida,

Por me amar eu escolhi me amparar e me dar toda a guarida!

Estou no início do processo de me reencontrar de novo sem medo,

Na esperança de que eu  revele tudo que  fez de mim um triste  segredo!



Em 26 de Outubro de 2014.


Mariluci Carvalho de Souza 

domingo, 7 de agosto de 2011

Viver...


A vida é muito imprevisível ,

É uma série de seqüência sem roteiros,

É um sonho real e indescritível,

Onde o agora não foi o que é por inteiro,

Viver é lidar com a vida de forma inteligente,

Não porque somos mais sabidos,

Mas porque aprendemos com os anos vividos...

Viver é se entregar para a vida inteiramente

E vivenciar tudo que a gente sente...

Viver é um grande presente!





Mariluci Carvalho de Souza

terça-feira, 10 de maio de 2011

SUFICIENTE PARA VOCÊ!






SUFICIENTE PARA VOCÊ!

(autor desconhecido)

Há pouco tempo, estava no aeroporto e vi mãe e filha se despedindo.
Quando anunciaram a partida, elas se abraçaram e a mãe disse:

- Eu te amo. Desejo o suficiente para você.

A filha respondeu:

- Mãe, nossa vida juntas tem sido mais do que suficiente. O seu amor é tudo de que sempre precisei. Eu também desejo o suficiente para você.

Elas se beijaram e a filha partiu.

A mãe passou por mim e se encostou na parede.

Pude ver que ela queria, e precisava, chorar.

Tentei não me intrometer nesse momento, mas ela se dirigiu a mim, perguntando:

- Você já se despediu de alguém sabendo que seria para sempre?

- Já - respondi. - Me desculpe pela pergunta, mas por que foi um adeus para sempre?

- Estou velha e ela vive tão longe daqui. Tenho desafios à minha frente a verdade é que a próxima viagem dela para cá será para o meu funeral.

- Quando estavam se despedindo, ouvi a senhora dizer 'Desejo o suficiente para você'. Posso saber o que isso significa?

Ela começou a sorrir.

- É um desejo que tem sido passado de geração para geração em minha família. Meus pais costumavam dizer isso para todo mundo.

Ela parou por um instante e olhou para o alto como se estivesse tentando se lembrar em detalhes e sorriu mais ainda.

- Quando dissemos 'Desejo o suficiente para você', estávamos desejando uma vida cheia de coisas boas o suficiente para que a pessoa se ampare nelas.

Então, virando-se para mim, disse, como se estivesse recitando:

- Desejo a você sol o suficiente para que continue a ter essa atitude radiante.
- Desejo a você chuva o suficiente para que possa apreciar mais o sol..
- Desejo a você felicidade o suficiente para que mantenha o seu espírito alegre.
- Desejo a você dor o suficiente para que as menores alegrias na vida pareçam muito maiores.
- Desejo a você que ganhe o suficiente para satisfazer os seus desejos materiais.
- Desejo a você perdas o suficiente para apreciar tudo que possui.
- Desejo a você 'alôs' em número suficiente para que chegue ao adeus final.

Ela começou então a soluçar e se afastou.

Dizem que leva um minuto para encontrar uma pessoa especial, uma hora para apreciá-la, um dia para amá-la, mas uma vida inteira para esquecê-la.

Mande esta mensagem para as pessoas que você nunca esquecerá e lembre-se de mandá-la de volta à pessoa que a enviou.

Se você não mandá-la para ninguém, significa que você vive com tanta pressa que se esqueceu de seus amigos.

ARRUME TEMPO PARA VIVER...



EU DESEJO O SUFICIENTE PARA VOCÊ...

Mariluci Carvalho de Souza

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Coração Fechado!




Coração Fechado!


Algumas pessoas querem manter seus corações fechados para nós.
Não adianta a gente "bater" até ficar exausta porque ela não abre...
Esse bater, pode ser mostrar-se solidária,oferecer o seu afeto, fazer gestos e atitudes que demonstram que essa pessoa pode contar sempre com você e que você quer o melhor para ela...Não adianta, ela não abre o coração para você.Seja lá por qual motivo, essa pessoa simplesmente não consegue trocar com você e a reciprocidade é mínima ou nenhuma.Quanto mais você se doa, mais distante a pessoa parece tentar manter-se.
Toda amizade tem que ser cultivada para poder crescer e criar raízes que a solidifiquem. Assim não sendo, ela vai definhando por falta da água da reciprocidade e acaba definhando, até que um dia morre.O que é muito doloroso para quem investiu tanto em alguém que não demonstrou o mínimo de interesse por seus sentimentos, por mais sinceros e nobres que eles fossem.
Sempre soube que lutar contra a indiferença e a insensibilidade é derrota certa!Mas, como saber que alguém é insensível e indiferente antes de investirmos nela? Não há como!
O que resta fazer nesses casos é aceitar que essa pessoa não quer abrir seu coração para você, respeitar essa decisão dela, e seguir em frente com a sua bagagem de afeto para oferecer a quem a deseja de verdade.
Hoje em dia está muito mais comum do que se imagina , a gente encontrar pessoas com o coração fechado...Elas, por medo ou insegurança, preferem não arriscar e afastam-se na certeza de que estão se protegendo dos outros, quando na verdade elas estão se protegendo delas mesmas. Caso contrário o que justificaria você manter seu coração fechado para alguém que está disposto a investir em você afetivamente?
Seria tão mais humano e honesto a pessoa agir de forma mais sincera e deixar claro, logo que percebe as investidas afetivas de outra pessoa, que ela não gosta, não quer e que não adianta porque ela não abrirá o coração para você. Isso não acontece porque as pessoas preferem manter a hipocrisia do que expor-se com a sua verdade.Além disso há um ganho secundário que faz com que elas fiquem quietas porque assim elas ainda podem usufruir da inocente doação do outro sem se comprometer.
Notem bem que não estou me referindo ao Amor, embora reconheça a amizade como sendo um tipo bem sólido de amor.As pessoas se desculpam dizendo que não podem mandar em seus corações...Será? Que coração sadio se negaria a abrir-se para uma bela amizade? Só mesmo um coração cheio de medo é que teimaria em manter-se fechado para o que há de mais raro atualmente:uma amizade verdadeira!
Caso você esteja nessa situação, pare de bater! Afaste-se e deixe em paz o coração que não quer se abrir.Tenho certeza que um dia, essa pessoa vai lamentar e muito não ter aberto seu coração para você, mas nesse dia, o problema será somente dela porque você estará colhendo os frutos de sua "vitória pela desistência".






Mariluci Carvalho de Souza

sábado, 23 de abril de 2011

SER TERAPEUTA...




Ser terapêuta é uma imensa responsabilidade.
Não apenas isso é também uma notável dádiva.
Desenvolvemos o dom de usar a palavra, o olhar, expressões, e até mesmo o silêncio.
A capacidade de tirar lá de dentro o melhor que temos para cuidar, fortalecer, compreender, aliviar.

Ser terapêuta é um ofício tremendamente sério.
Mas não apenas isso é também um grande privilégio.
Pois não há maior que o de tocar no que há de mais precioso e sagrado em um ser humano:
seus segredos, seus medos, suas alegrias, prazeres e inquietações.

Somos terapêutas e trememos diante da constatação de que temos instrumentos capazes de favorecer o bem ou o mal, a construção ou a destruição.
Mas ao lado disso desfrutamos de uma inefável bênção que é poder dar a alguém o toque, a chave que pode abrir portas para a realização de seus mais caros e íntimos sonhos.

Quero, como terapêuta aprender a ouvir sem julgar, ver sem me escandalizar, e sempre acreditar no bem.
Mesmo na contra-esperança, esperar.
E quando falar, ter consciência do peso da minha palavra, do conselho, da minha sinalização.
Que as lágrimas que diante de mim rolarem, pensamentos, declarações e esperanças testemunhadas, sejam segredos que me acompanhem até o fim.

E que eu possa ao final ser agradecido pelo privilégio de ter vivido para ajudar as pessoas a serem mais felizes.
O privilégio de tantas vezes ter sido único na vida de alguém que não tinha com quem contar para dividir sua solidão, sua angústia, seus desejos.
Alguém que sonhava ser mais feliz, e pôde comigo descobrir que isso só começa quando a gente consegue realmente se conhecer e se aceitar.

Ass. Marcelo Felipe
Diretor/Terapêuta

Realmente é uma profissão muito árdua, mas é extremamente compensadora...Não há nada mais confortante do que ajudar uma pessoa a encontrar-se e , por fim, se tornar uma pessoa feliz!
Como Psicoterapeuta trago comigo as tristezas e as alegrias de todos os meus clientes e eles são muito importantes para mim!


Mariluci Carvalho de Souza

segunda-feira, 18 de abril de 2011

QUERO SIM...




QUERO SIM...


Quero soltar as amarras que eu mesma me coloquei...

Quero dar a essa prisão interior um imediato fim...

Quero alargar meus limites e começar de onde parei...

Quero me envolver mais com o Universo e com a vida,

Quero poder ser alguém que já está pronta e definida...

Quero sentir a emoção que deixei sorrateiramente congelar,

Quero novamente sentir o prazer e a satisfação de me amar...

Quero esquecer que o tempo que ignorantemente eu me esqueci,

Quero viver intensamente tudo que ainda não vivi...

Quero a alegria de acordar e a serenidade quando eu for dormir...


Quero de volta aquela pessoa que eu um dia conheci,

Quero recomeçar a viagem que sem saber como eu desisti...

Quero saber mais sobre a felicidade e se é ela que procuro,

Quero ver se ainda estou andando desnorteada no meu mundo escuro...


Quero ver o mundo de forma muito nova e totalmente diferente,

Quero voltar a me sentir e a me comportar como gente...

Quero ser mais que uma pessoa perdida e sem rumo,

Quero encontrar o meu verdadeiro equilíbrio e achar o meu prumo...


Quero valorizar realmente cada segundo do meu viver,

Quero fazer isso antes que eu, sem que perceba, me deixe morrer!



Mariluci Carvalho de Souza

segunda-feira, 11 de abril de 2011

SOMENTE UMA MULHER !


UMA HOMENAGEM A NÓS TODAS, MULHERES QUE SE SUPERAM!!!



Acróstico (Jacira Vicentina Ribeiro)


J UNTEI MEUS PEDAÇOS,

A RRANQUEI TODOS OS LAÇOS,

C ONDEGUI ME LIBERTAR...

I NSITI NO MEU ESPAÇO,


R ENOVEI MEU ESTOQUE DE ABRAÇOS,

A PRENDI, FINALMENTE, A ME AMAR!


V IVENCIEI TODA A MINHA ESTÓRIA,

I VENTEI UM NOVO ENREDO...

C ORRIGI MINHA MÉMORIA

E DELETEI TODOS OS MEUS MEDOS...

N A LIXEIRA JOGUEI TODOS OS MEUS SEGREDOS,

T ORNANDO-ME O CENTRO DE MIM,

I NVERTI O MEU COMEÇO PELO FI M,

N A CERTEZA DE QUE, AGORA, SOU MAIS FORTE.

A DOTEI OUTRO RUMO PARA A MINHA SORTE...


R EMEI EM RIOS DE MUITAS DECEPÇÕES,

I LUSÕES E DESILUÇÕES SUPEREI,

B ATI FORTE EM ROCHEDOS DE INTENSA DOR,

E NO JOGO DOS DADOS, ME RECUPEREI,

I NTEIRA, COMO ME SINTO E COMO SOU DE VERDADE...

R ECOMECEI APOSTANDO TUDO AO MEU FAVOR,

O PTEI POR ME REFORMATAR NO AMOR, SEM O FUNDO DA MALDADE!


Mariluci Carvalho de Souza

quarta-feira, 6 de abril de 2011

SAIBA DIZER "NÃO"




Bondade demais pode esconder problemas de autoestima!


HELOÍSA NORONHA


Você não precisa ser um anjo para ser uma boa pessoa. Dizer não também é necessário Estar sempre disponível, ser muito solícito e conhecido como bonzinho pode ser ótimo para os beneficiados de tanta generosidade, mas e para si mesmo? Esse comportamento pode esconder o medo intenso de desagradar o outro. "É do desejo de contentar todo mundo que nascem as decepções com a família, com os amigos, companheiros ou colegas de trabalho", avisa a consultora em desenvolvimento humano e terapeuta holística Eliana Barbosa, de São Paulo. Sempre pronta para ajudar, a professora Ana Paula Guaraci, de 31 anos, é tida como o anjo da guarda do bairro paulistano onde mora. Auxilia crianças com deveres de casa, dá carona para quem precisa, acompanha vizinhos idosos a consultas médicas... Isso faz dela muito conhecida e querida. No entanto, ultimamente, ela não está muito feliz com isso. "Eu gosto de ajudar, mas detesto me sentir usada. E isso já me aconteceu duas vezes, ao emprestar dinheiro e não recebê-lo de volta no prazo combinado", lamenta. "Acho que muita gente não está acostumada com a bondade e acaba abusando. Tenho dificuldade em recusar um pedido, mas, sinceramente, cansei de abrir mão de algumas coisas em nome do próximo." Assim como Ana Paula, é comum encontrar pessoas que se sintam sufocadas diante das demandas alheias. A sensação é ainda pior quando não há uma troca (que seja um elogio, um gesto de carinho ou uma retribuição, quando necessária) e percebem que a própria vida está sendo negligenciada pela preocupação excessiva com os problemas alheios. A psicóloga cognitivo-comportamental Mara Lúcia Madureira, de Rio Preto (SP), destaca que as pessoas solícitas ao extremo talvez ajam assim por temerem críticas e reprovações. "O papel de bonzinho é uma estratégia inconsciente para aliviar sentimentos negativos, resultantes da crença pessoal de que são pessoas más, indignas ou incapazes", completa. Embora existam homens com tal perfil, esse tipo de comportamento é mais comum nas mulheres, por questões culturais. "Desde a infância, as mulheres são treinadas para serem certinhas, boazinhas, bonitinhas. Precisam agradar todo mundo. Isso fica tão arraigado no inconsciente feminino que, na vida adulta, cada não que as mulheres dizem vem carregado de uma inexplicável culpa", afirma Eliana. De modo geral, a origem desse comportamento vem da infância. "A criança aprende que, se não for boazinha, ninguém irá gostar dela e não irá para o céu. Os conceitos são assimilados como verdades incontestáveis, integrados ao medo e gravados na memória", diz Mara Lúcia. "Para evitar o temor de não ser amada ou de arder no inferno, a criança se comporta de acordo com as expectativas dos adultos, sendo, então, gratificada ou poupada de castigos",completa a psicóloga, que afirma que isso se reflete na vida adulta. Quem se coloca sempre disponível pode, inconscientemente, querer fugir dos próprios problemas, ao assumir os dos outros. "Mas acredito, também, que são pessoas carentes afetivamente, que ficam agradando os outros numa forma inconsciente de serem agradadas. Porém, o que recebem em troca, infelizmente, é a ingratidão, pois, geralmente, as pessoas não dão valor a quem não se valoriza", salienta Eliana. Equilibre-se (e diga não!) O segredo está em encontrar o equilíbrio. "Ser bom não é defeito. Porém, os bons também dizem não. Quem é bonzinho demais prejudica a si mesmo, pois muitas vezes acaba ajudando pessoas que não merecem ou que abusam", opina Silmar Coelho, doutor em psicologia e liderança pela Universidade Oral Roberts, em Tulsa (EUA). "Ainda assim, é melhor ser bom do que se fechar para as pessoas. Mas com equilíbrio", reitera. Para a psicóloga Luiza Ricotta, de São Paulo, a insatisfação nos relacionamentos ocorre se há um desnível entre um e outro; quando a pessoa dá mais do que recebe. "Sendo assim, o vínculo não é saudável e alguém se sente usado. As pessoas precisam ser felizes nos relacionamentos! Não há porque manter relações desniveladas", afirma a psicóloga. Vencer o medo de dizer não, de fato, é uma tarefa difícil -mas possível. Veja alguns passos para isso:

1. Compreenda que o medo foi instalado na infância, quando você não dispunha de condições para questionar a veracidade das ameaças. As ameaças eram meras estratégias de controle dos pais

2. Críticas não representam perigos reais. São apenas opiniões. Encare-as de uma maneira mais leve, sem se preocupar tanto

3. Todo mundo tem o direito de pedir o que quiser, entendendo que o outro tem o direito de decidir se o atende ou não. Portanto, você não tem obrigação de atender

4. Você tem o direito de dizer não sem sentir culpa

5. Não transforme a passividade em agressividade. O que lhe trará equilíbrio e respeito é a assertividade. Diga não, mas com elegância

6. Compreenda que ninguém ama, respeita ou admira pessoas boazinhas ao extremo. Ao contrário: as exploram, abusam e sentem pena !


Mariluci Carvalho de Souza

terça-feira, 5 de abril de 2011

O tamanho das pessoas





"Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Uma pessoa é enorme para você, quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado. É pequena para você quando só pensa em si mesma, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade, o carinho, o respeito, o zelo e, até mesmo, o amor. Uma pessoa é gigante para você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto com você. E pequena quando desvia do assunto. Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma. Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês. Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas. Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo. É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas que se agigantam nas críticas e se encolhem quando estão diante dos olhos que sabem "seus segredos íntimos e suas atitudes covardes fruto de sua própria insegurança". Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações. Uma pessoa é única ao estender a mão; e ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes. Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande...é a sua sensibilidade, sem tamanho... E ainda dizem que "interferência" é atrapalhar o caminhar do próximo. Na maioria das vezes é despertar a "coragem e a capacidade" nos covardes e incompetentes. A esperança está na certeza que estes se rendem diante da própria imagem diante do espelho que se olham a cada dia mais infelizes."

William Shakespeare


Mariluci Carvalhode Souza

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Loucura!



Vento passando...

Tento pensando...

Acordo chorando...

Recordo amando...

Calo abafando...

Falo sussurrando...

Engulo resmungando...

Conto inventando...

Canto murmurando...

Sinto sem sentir...

Minto por mentir...

Delírios sem fim...

União do meu eu sem mim...

Meu Ego cindindo...

Pensamento partindo...

A razão desistindo...

Alucinações que estão vindo...

Procura findando...

Loucura se instalando...

Eu me entregando...

Ninguém notando...

Ninguém se importando...

E o meu Eu acabando...



Mariluci Carvalho de Souza